Omar, goleiro do Bahia

por em 02 de Fevereiro de 2011 00:00

Entrevista concedida ao repórter do Galáticos Online, Thiego Souza


Foto: Edson Ruiz / Bocão News

É verdade que quando era mais novo você chegou a atuar na linha, mas percebeu que não tinha tanta habilidade com os pés?

- É verdade! Quando era mais novo jogava de volante, mas minha mãe me dizia que não ia dar certo, que eu não tinha aptidão para jogar na linha, mobilidade, então é melhor você ir para o gol que vai se sair melhor.

Como descobriu que seu “lance” era o gol?

- Depois que minha mãe me deu alguns conselhos comecei a olhar de outra maneira e gostei de treinar no gol e a partir daí comecei a me apegar a esta posição e segui em frente.

Com quantos anos você chegou ao Bahia e quem te trouxe?

- Estou aqui desde os 19 anos e quem me trouxe foi o Sr. Newton Motta juntamente com o professor Ricardo, do Cruzeiro.

Você com um ano de clube, vindo da base de outro time, vestiu a camisa de titular do profissional pela primeira vez. Esperava essa rápida ascensão?

- Eu almejava isso desde o ano passado. Tracei essa meta e graças a Deus surgiu a oportunidade e pude ajudar meus companheiros. Foi muito bom para mim ter começado bem.

 


Foto: Edson Ruiz / Bocão News

Todo atleta quando jovem tem um ídolo, uma referencia. Você se inspira em alguém?

- Eu particularmente gosto de pegar uma especialidade de um goleiro aqui, outro ali, mas um referencial que eu tenho é o Dida. É um grande goleiro, me inspiro muito e sempre olho para ele como profissional.

Nos últimos anos o Bahia teve alguns goleiros que se tornaram referência, a exemplo de Marcelo e Renê. Você objetiva isso também, se tornar um ídolo?

- Claro! Ano passado pude fazer um bom trabalho, ser reconhecido pela torcida e minha meta é ser titular do Bahia este ano e ajudar meus companheiros buscando meu espaço com muita humildade e muito trabalho.

O Torneio Inicio pode ser considerado a porta de entrada para sua afirmação como goleiro do Bahia?

- O Torneio Inicio foi uma competição muito boa porque o professor Rogério não me conhecia e foi uma oportunidade para ele me observar jogando e foi uma boa oportunidade também para o público ver meu rosto de novo e não esquecer que estou aqui no Bahia.

Como é sua relação dentro e fora de campo com Tiago?

- Relação muito boa. O Tiago é uma pessoa excepcional, sempre está me dando conselhos, me passando a experiência que ele tem e é muito importante isso, estar ouvindo, pois sou jovem e aprender mais a cada dia é sempre bom.

A torcida do Bahia clama por Omar no gol. Se o Rogério Lourenço chegar e falar, “você que vai jogar”, está pronto para o primeiro Ba-Vi profissional de sua carreira?

- Preparado estamos para tudo, mas no momento o Tiago está com essa oportunidade e a gente tem que apoiar ele, porque está fazendo um bom trabalho e a torcida tem que apoiar quem estiver jogando também. Isso é importante porque ele tem o apoio de toda a comissão técnica e de todo o grupo.

Na sua visão, o elenco do Bahia, mesmo sendo jovem, tem condições de conquistar o título baiano?

- Estamos em busca disso. Estamos evoluindo a cada dia, mas precisamos crescer mais e com trabalho isso vai ter diante dos jogos e o Ba-Vi é uma oportunidade da gente dar a volta por cima.

Deixa uma mensagem para o torcedor

- Torcedor tricolor, conto com a presença sempre de vocês, o apoio e um grande abraço.
 


Whatsapp
Mande um Comentário
Os comentários não representam a opinião do portal Galáticos Online. A responsabilidade é do autor da mensagem.

Ver todos

Publicidade

Fotos

Publicidade

Publicidade