Rayssa Leal comemora apoio dos fãs na Bahia: "A galera vibrando é demais"

por Paulo Victor Araújo - (@pevearaujo) em 27 de Agosto de 2019 00:00

Rayssa mostra tranquilidade na corrida por uma vaga em Tókio 2020

No último final de semana, aconteceu em Lauro de Freitas uma das edições do Circuito Brasileiro de Skate Street (STU). Após vencer a segunda etapa seguida do torneio, Rayssa Leal, a Fadinha, concedeu uma entrevista exclusiva ao Galáticos Online. 

A nordestina, de apenas 11 anos, falou sobre o apoio dos fãs em solo baiano, destacou a amizade com outras competidoras e explicou detalhes da carreira, que iniciou desde os seis anos. 

"Foi demais, receber o apoio da torcida e ver toda a galera vibrando é demais", afirmou Rayssa, que venceu a primeira edição da história do STU em solo baiano.

Questionada sobre a amizade com outras skatistas do Brasil, a Fadinha destacou a boa relação que tem com as atletas. "É muito legal. A gente tá sempre juntas nos eventos, não existe essa coisa de rivalidade, somos todas amigas e uma torce pela outra sempre", disse.

Rayssa Leal é uma das grandes promessas do skate brasileiro para as Olimpíadas de Tókio. Aos 11 anos, a Fadinha vem faturando títulos e boas colocações em torneios nacionais e internacionais, no entanto, a corrida por uma vaga nos jogos de 2020 está longe do fim. 

Para garantir presença no Japão, Rayssa precisa ficar entre as três melhores do Campeonato Mundial,  ou ser uma das 16 primeiras no ranking da categoria. "Ainda tem muita coisa para acontecer, os campeonatos de fora valem mais pontos que o STU, então o foco deve ser maior lá fora", explicou Rayssa, que é a segunda colocada na classificação mundial, atrás apenas de outra brasileira, Pâmela Rosa.

Por conta das participações em campeonatos por vários lugares do mundo, Rayssa é uma criança diferente das outras meninas de 11 anos. A atleta da Seleção Brasileira de Skate precisa contar com a parceria da escola e correr atrás dos estudos quando não está nos torneios. 

"A escola é muito parceira. Me ajuda bastante quando chego de viagem. Para manter os estudos em dia, estudo muito quando chego de viagem e quase não dá para andar de skate, mas tem que ser assim, tenho que me dedicar também nos estudos", destacou. 

Depois de vencer na Bahia, Rayssa já está na Noruega, local da próxima edição do X Games. Em 2019, a atleta já participou de quatro competições fora do Brasil e conquistou o título na Far’N High, em Villiers-sur-Orge, na França, a terceira colocação na Street League Skateboarding (SLS) de Londres, o primeiro lugar na SLS de Los Angeles e foi finalista do X Games de Minneapolis, onde ficou na quarta posição. 

CONFIRA OUTROS TRECHOS DA ENTREVISTA:

Esse ano você já ganhou uma etapa do Mundial e garantiu uma incrível quarta colocação nos X Games. Até aqui, esse tem sido o melhor ano da sua carreira?

- Sim, muitas viagens, muitas novas amizades, esse tá sendo o melhor 

Com quantos anos você começou a andar de Skate?

- Comecei andar com 6 anos por incentivo de um amigo do meu pai 

Sabemos das dificuldades para ingressar nas Olimpíadas, das candidatas brasileiras, quais você acha que tem mais chances de representar o país nos jogos? 

- Todas tem chances e eu torço por todas, quem tiver lá vai representar bem o país


Whatsapp
Mande um Comentário
Os comentários não representam a opinião do portal Galáticos Online. A responsabilidade é do autor da mensagem.

Ver todos

Publicidade

Fotos

Publicidade

Publicidade