Destaque de triunfo pelo Baiano, Gabriel Santiago comenta início no Vitória e revela dificuldades

Autor(a): Redação Galáticos Online (Twitter - @galaticosonline) em 24 de Janeiro de 2020 20:45
Foto: Galáticos Online

Aos 19 anos, Gabriel Santiago foi apresentado a grande parte da torcida do Vitória na última quarta-feira. O meia, de 19 anos, foi um dos destaques do triunfo sobre o Jacobina.

Responsável pela armação de jogadas da equipe, o atleta foi entrevistado pelo repórter Anderson Matos no programa Nação Rubro-Negra desta sexta (24). O garoto conto como foi seu início no futebol.

"Desde criança, com vídeo game, baba na escola, sempre uma bolinha perto de mim. Mas, tenho uma história engraçada. Quando fui jogar um golzinho na rua, em Lauro de Freitas, meu pai deixou, dizendo que eu ia me machucar, porque os outros meninos eram maiores. Eu insistia, ficava assistindo da varanda. Um dia ele acabou deixando. Eu fui, tomei uma topada, ralei o joelho e voltei pra casa chorando (risos). Mas, não desisti. Fui jogar futsal aos seis anos, aos dez conheci  Luciano Cortizo, que é meu empresário, em um campeonato, e ele me levou para o Vitória. Estou no Vitória desde 2011", disse.

Mas, nem tudo foram flores. O jogador revelou que teve dificuldades no começo da carreira. "A primeira dificuldade foi coordenação motora, não tinha base nenhuma. Professor Edgar foi me ensinando aos poucos. No primeiro dia de treino, eu cheguei em casa chorando e disse que não queria mais voltar. Não conseguia ter coordenação motora".

Em seguida, Gabriel sofreu com a falta de oportunidades no clube e pouco jogou em algumas temporadas na Toca. "Algumas pessoas não gostavam do meu porte físico, altura e acabaram me deixando de lado. Mas, graças a Deus meu talento falou mais alto e agora estou tendo oportunidade".

A história começou a mudar em 2019, quando o meia-esquerda foi utilizado pelo técnico Rodrigo Chagas na Copa do Nordeste Sub-20 e foi o destaque da conquista do título pelo Leão. "O convite (para integrar o Sub-23) foi logo depois da final da Copa do Nordeste Sub-20, pelo professor Rodrigo Chagas. Foi especial ter a oportunidade de jogar profissionalmente".

Já sobre a estreia contra o Jacobina, o jovem atleta revelou que ficou nervoso, mas não demorou a se soltar em campo. "Bateu o frio na barriga, fiquei nervoso. Mas, aos poucos, fui perdendo a vergonha e ganhando confiança. Pude fazer uma boa partida".


 


Whatsapp
Mande um Comentário
Os comentários não representam a opinião do portal Galáticos Online. A responsabilidade é do autor da mensagem.

Mais noticias


Ver todos

Publicidade

Fotos

Publicidade

Publicidade