TV RÁDIO
Buscar

Da luta contra o rebaixamento ao possível acesso: Vitória só depende dele para voltar à Série B

por Pevê Araújo em 14 de Setembro de 2022 08:00

A temporada de 2022 para o Vitória foi marcada pela busca por equilíbrio, que só aconteceu na reta final da primeira fase do Campeonato Brasileiro da Série C. Diante de uma competição curta, o Leão conseguiu deixar a luta contra o rebaixamento e garantiu uma vaga no quadrangular final do torneio, evitando a falta de calendário e mantendo o sonho de disputar a Segunda Divisão em 2023.

Antes de fazer qualquer análise a respeito das necessidades rubro-negras nestas duas rodadas que faltam na Série C, é preciso destacar que a reação do clube em busca do maior objetivo do ano tem nome e sobrenome: João Burse. Antes da chegada do técnico, o Vitória caminhava para um novo rebaixamento, mesmo com a torcida mostrando força e lotando o Barradão, como na derrota diante do Volta Redonda por 2 a 1. 

Desde o fracasso no Campeonato Baiano, quando ficou fora da segunda fase do torneio estadual mais uma vez, o único objetivo do Vitória em 2022 era voltar para a Série B, no entanto, a equipe que se despedia do técnico Dado Cavalcanti e atuava sob o comando de Geninho não dava indícios de que poderia comemorar alguma coisa no final da temporada.

Contrariando a lógica, a diretoria do Vitória caiu no erro de contratar o desconhecido Fabiano Soares para assumir a vaga de treinador. No começo do trabalho, o time conseguiu demonstrar alguma organização, mas não foi suficiente para deixar a parte baixa da tabela e se colocar como um dos candidatos ao acesso.

Arrancada na Série C

A realidade do Vitória começou a mudar no dia 19 de junho, quando a diretoria demitiu Fabiano Soares e acertou o retorno de João Burse. Na ocasião, dados do Departamento de Matemática da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) apontavam que o Rubro-Negro tinha 46,5% de risco de queda, contra 4,1% de chances de classificação.

João Burse adotou um discurso onde o Vitória direcionava o foco da temporada inteira em cada partida que disputava, deixando de olhar a tabela e mirando apenas no próximo adversário. 

“Estou aqui porque acredito que pode sair dessa situação. Acredito que o Vitória é para estar lá em cima. E em relação ao G-8, temos que pensar na próxima partida. É jogo a jogo, confiança para esses atletas para que a gente possa primeiro ganhar do Altos e depois pensar no próximo jogo. Esse é o nosso maior objetivo. Jogo a jogo para que a gente possa conseguir os objetivos e metas curtas”, disse o técnico em entrevista coletiva de apresentação. 

Depois de vitórias contra Figueirense, São José, Paysandu, Mirassol e Brasil-RS, além de empates contra Altos-PI, Ferroviário e ABC, o Vitória voltou a contrariar a lógica e se classificou para o quadrangular final da Série C na sétima colocação. É preciso destacar a presença da torcida, que lotou o Barradão e contabilizou os maiores públicos da competição até o momento.

Um novo campeonato

Depois de uma sequência de decisões, o Vitória teve a oportunidade de entrar em campo pela Série C com mais tranquilidade. Começando do zero, a equipe bateu o Paysandu no Barradão e deu o primeiro passo para o acesso. A situação ficou complicada despois da segunda rodada, quando o Rubro-Negro foi derrotado por 5 a 1 para o Figueirense. 

Mesmo com a goleada sofrida fora de casa, o elenco do Vitória teve maturidade para compreender as voltas que a competição poderia dar, se mantendo vivo em dois jogos marcados pelo equilíbrio diante do ABC e contando com o tropeço do Figueirense fora de casa, o que é comum em relação a campanha que o clube tem feito longe do Estádio Orlando Scarpelli em 2022.

Na terceira colocação do Grupo B, com cinco pontos, o Vitória entra em campo com a chance de depender apenas do próprio resultado na última rodada. Para isso, é necessário voltar a vencer o Figueirense no Barradão. O duelo será realizado neste domingo (18), às 16h. 

Diante do orçamento publicado pelo Vitória no início da temporada, não deveria caber ao clube contrariar estatística alguma, nem em recortes de determinados momentos da Série C. Mas, em um ano de tantos erros e poucos acertos, poder sonhar com o acesso nas duas últimas rodadas pode ser considerado o prenúncio de dias melhores, desde que suba.
 


Whatsapp

Mande um Comentário
Os comentários não representam a opinião do portal Galáticos Online. A responsabilidade é do autor da mensagem.

Ver todos

Fotos

Publicidade

Publicidade