Conheça as propostas e posições da Associação Bahia Livre para as eleições do clube

por Rafael Machaddo (@RafaelMachaddo) em 02 de Outubro de 2017 00:00 com 0 Comentário

O Galáticos Online chega à oitava entrevista da série com os grupos políticos que pretendem participar das eleições do Esporte Clube Bahia. Desta vez, o papo foi com Emanuel Vieira, um dos líderes da Associação Bahia Livre (ABL).

Se você ainda não conferiu alguma das outras sete entrevistas já realizadas, é só acessar a aba “Entrevistas” do nosso site.

Confira as principais ideias e as propostas da ABL para as eleições do Tricolor.

1 – O seu grupo já definiu quem será o candidato à presidência do clube? Se sim, por que essa escolha? Se não, até quando pretendem definir? Existem nomes?

RESP: A ABL foi fundada em 21/03/2003 tendo como objetivo principal a democratização do ECB. Participamos de grandes batalhas e reuniões no Conselho Deliberativo (CD), dentro e fora do Clube, nosso Ex-Presidente e Benemérito Jorge Maia foi o autor da Ação que resultou na Intervenção decretada pela Justiça em 2013. Eu também fui autor de uma Ação de idêntico teor, mas a mesma não prosperou justamente pela existência da Ação de Jorge Maia. Lutamos sempre com o Movimento Unidade Tricolor (MUT) de grandes tricolores, sob a liderança do Benemérito Fernando Jorge Carneiro. Os Grupos ABL e MUT foram os grandes desbravadores e responsáveis pela democratização do Bahia. As duas citadas ações na justiça tiveram como Advogado o brilhante Dr. Pedro Barachísio Lisboa, um tricolor de grandes serviços prestados.

Estamos conversando com grupos de oposição coligados e que pensam em oferecer aos sócios a melhor opção na chapa majoritária, que reúna competência, transparência e experiência administrativa em gestão e no futebol. O Bahia não é Laboratório, como está sendo atualmente. Temos ótimos nomes na oposição: Antônio Tillemont, Dr. Saul Quadros, Fernando Jorge, Virgílio Elísio, Fernando Passos, Olavo Fonseca, Jorge Maia, Marcus Verhine e outros. Gostaríamos de ter a Chapa Dr. Saul Quadros/ Antônio Tillemont mas ainda não temos resolvida esta possibilidade, esperamos em breve ter a definição. A chapa Dr. Saul/Tillé reúne competência, credibilidade, honestidade, capacidade de gestão e experiência no futebol.

2 – Quais grupos ou "personalidades" apoiam essa candidatura? Como eles serão importantes numa possível gestão?

RESP: Os grupos Integridade Tricolor (IT), A Voz do Campeão, Avante Esquadrão (AE) e Associação Bahia Livre (ABL) estão conversando e tentando a melhor chapa para alavancar o Esporte Clube Bahia e sair da letargia atual.

3 – Quais são as principais propostas do seu grupo para um possível mandato para os próximos três anos?

RESP: Sócio popular com direito a voto, com mensalidade de R$10,00, esse será o primeiro grande passo;

Novo plano de sócios com várias categorias e valores de mensalidade;

Planejamento estratégico, hoje inexistente no clube, apesar de vários apelos feitos no CD;

Novo plano de acesso aos jogos do Bahia, quer seja na AFN quer seja em Pituaçu, com prioridade para o torcedor de baixa renda;

Sócio com descontos efetivos em todos os jogos, sem filas ou impressão de ingressos, bastando passar sua carteirinha na catraca e o valor do ingresso utilizado com desconto virá no seu próximo boleto ou na fatura do cartão de crédito mensal;

Nova área para o torcedor tricolor de baixa renda no estádio;

O Sócio em dia terá 50% de desconto em vários setores do estádio;

Auditoria do período 2015-2017;

Demonstrações contábeis detalhadas e atualizadas no site do clube;

Profissionalização total em todos os departamentos do clube: Gestores comprovadamente capacitados;

Reformulação total de toda a Diretoria Executiva e departamentos do clube;

Contratação de empresa de MKT para planejamento, elaboração e comercialização dos títulos de novos Sócios, com metas a serem cumpridas e remuneração variável a ser paga quando do seu atingimento.

4 – Qual o posicionamento do seu grupo sobre Fazendão e Cidade Tricolor?

RESP: O CT Fazendão/Osório Villas Boas é um excelente patrimônio do Esporte Clube Bahia, erguido por grandes tricolores sob a liderança do Ex-Presidente e Benemérito Antônio Pedreira Pithon e que retornará a ser propriedade do ECB, graças ao empenho do falecido Ex-Diretor Antônio Álvares Miranda Filho que recalculou, reavaliou e se empenhou na gestão de FS para renegociar o acordo que antes era favorável a Construtora OAS e desfavorável ao ECB e que a atual diretoria, infelizmente, lamentavelmente omite e renega o magnífico trabalho desempenhado por Antônio Miranda, captalizando para si a nova situação patrimonial, algo que não é a realidade do que aconteceu.

O Fazendão encontra-se em localização privilegiada com metrô passando pertinho até o final do ano, excelente infra-estrutura próximo a um grande Shopping Center, o que desperta interesse de Construtoras e especuladores. Este patrimônio do clube não deve ser negociado e sim reestruturado.

Com relação ao CT de Camaçari, em que pese a área ser maior, fica longe de tudo e deveriam  ser elaborados projetos para equipá-lo, através de naming rights para utilização pelas categorias da divisão de base ou ser permutado por outros patrimônio do  Governo do Estado, como o Estádio de Pituaçu, por exemplo ou até mesmo numa negociação com a AFN.

 

5 – Como o seu grupo vê a parceria do Bahia com a Arena Fonte Nova?

RESP: Verificamos uma má gestão com inúmeras queixas e questionamentos dos Sócios e torcedores, a DE divulgou com pompas em 02/04/15 que os problemas seriam solucionados, o que não passou de mais um engodo desta Gestão: ingressos, estacionamento, bebidas e lanches com valores bastante elevados e um distanciamento do torcedor que critica reiteradamente esta parceria.  A falta de opções de espaço para o povão ir ao estádio ver o seu tricolor é algo que deve ser imediatamente revisto e reformulado. O Bahia era o clube do povo, nesta Gestão foi elitizado, sempre com estádio vazio, consideramos isso um descalabro, uma inquestionável falta de visão, temos que trazer o torcedor de baixa renda de volta a Fonte Nova, como era no passado.

6 – Como vocês avaliam a atual gestão do clube? Por favor, cite pelo menos um ponto que você julga positivo e um negativo da atual gestão do Bahia.

RESP: Fraquíssima, pífia, amadora, ineficiente e ineficaz, um grande fiasco!. Venderam a ilusão do “ERA UMA VEZ O FUTEBOL”: 2015 -  fracassamos em 9º lugar na 2ª Divisão, com erros da Diretoria, como a insistência em efetivar Charles, um ídolo do Clube, como Treinador; 2016 – Subimos em 4º lugar na 2ª Divisão, no sufoco, após usarem no futebol antecipadamente R$40.000.00,00 negociados com o Esporte Interativo (tv fechada) referente ao ano de 2019; 2017 – Apesar de contratarem 66 Jogadores em menos de 3 anos, não temos um time a alturas das tradições do ECB , apenas lutamos para não cair para a 2ª Divisão; Copa do Brasil: participações pífias e eliminações precoces; Copa Sulamericana ou Libertadores: esta gestão atual não sabe o que é isso; Copa do Nordeste ganhamos apenas a deste ano e Campeonato Baiano, apesar do nível técnico muito baixo, conquistamos apenas o de 2015; Idas ao EUA (Disney): vexames e goleadas e apenas prejudicaram a imagem do Esquadrão de Aço, de belas excursões ao exterior, com grandes triunfos no passado.

Diretoria de Negócios: MKT ineficiente, um enorme fracasso, prometeu-se 50.000 Sócios temos 12.000; DE com medo do Povão associar-se não aceitou projeto no CD de Sócio POPULAR com R$10,00 de mensalidade.

Jurídico: Ineficiente. Contratamos Advogado no exterior  e o pior perdemos na Ação que o rival tinha contra o Flamengo de Guanambi no caso Vitor Ramos“. Estamos apreensivos com relação a Ação contra o Ex-Presidente MGF, onde sua defesa alega que o Bahia teria perdido o prazo. Vamos torcer para que o Ex-Presidente esteja equivocado.

Ponto positivo: o equacionamento de dívidas da instituição com o parcelamento, devido a adesão ao PROFUT. Destaco ainda a lucidez do Diretor Financeiro que em reunião no CD destacou que permanecer na 1ª Divisão seria “ um milagre “. Se um Diretor diz isso...

 

7 – E sobre os atuais grupos de oposição, como os avaliam? Da mesma forma, por favor, se possível, cite um aspecto positivo e um negativo dos grupos que atualmente fazem oposição aos gestores.

RESP: Pregamos a União da Oposição para salvar o Bahia do amadorismo, letargia e fracasso atual. Temos uma grande afinidade com os Grupos VOZ DO CAMPEÃO, INTEGRIDADE TRICOLOR E AVANTE ESQUADRÃO (AE). O AE cresce e tem demonstrado uma luta bastante organizada. Esses citados grupos possuem grandes tricolores que pensam apenas no bem-estar do Bahia, sem almejar cargo e poder, como existe numa tal Involução Incolor. Em 2014 o ex- Interventor Dr. Carlos Rátis estava sendo especulado para concorrer a chapa majoritária e um grupo tido como “revolucionário“ o procurou oferecendo apoio e barganhando/exigindo em troca a Vice Presidência na sua possível Chapa. Isso não deveria existir no Bahia o “toma lá dá cá”, deveríamos selecionar os melhores quadros, independente de pertencerem a Grupos ou “Seita”.

Destaco também negativamente a desfaçatez de Tricolores eleitos para o CD em chapa e com discurso de Oposição e que foram “seduzidos e/ou cooptados pelo poder” e inesperadamente passaram a ser defensores e blindadores da gestão que diziam combater, criaram um Grupo que apenas funciona como GADE (grupo de apoio a DE) uma caixa de ressonância da Diretoria Executiva. Essa postura é repugnante, pois em nada contribui para o crescimento do clube, deixaram de lado o papel fiscalizador e de independência para os quais foram eleitos  se tonando assim  “amigos do Rei”. Dizer amém a tudo que a DE quer sem a devida análise e questionamentos é absolutamente lamentável, uma distorção. Perde a democracia, perde o Bahia.

8 - Qual o posicionamento do seu grupo sobre o voto à distância?

RESP: Somos a favor do voto a distância, com todas as garantias, auditorias e segurança necessária para a lisura do pleito. Sabemos que isso custa muito dinheiro e que só poderá ser implementado quando da aprovação final e registro do novo Estatuto, ou seja, só terá validade, com as garantias exigidas, para o pleito de 2020. Meu filho Adriano Vieira, ex-Conselheiro está morando em Portugal, será muito bom quando ele e todos os demais tricolores que moram distante poderem votar. Esperamos que em 2020 isso seja possível.

Foto: Reprodução