Não há o que comemorar, apesar de seguir na elite

por Tarso Duarte em 05 de Dezembro de 2017 12:02 com 0 Comentário

Em mais uma tarde que decepcionou em casa, no momento mais decisivo de uma temporada, o Vitoria mostrou o quão fundo está afundado na crise causada pela administração comandada pela dupla formada por Ivã de Almeida e Sinval Vieira.

De uma tacada só, a referida dupla conseguiu, além de fazer passar vergonha um clube com 40 milhões de reais em caixa, provocar a força necessária para que retornasse ao Barradão um dirigente que largou o time na terceira divisão do futebol brasileiro, porão do esporte à época.

Apesar da salvação - resultado de uma mistura que contou com o maestro Vágner Mancini, somado a uma sorte extrema no último minuto por conta de um gol marcado pela Chapecoense - o clube está fragilizado, prestes a ter de volta nas posições de comando um tipo de pensamento que além de ultrapassado,  como já foi em 2017, poderá trazer de volta a arrogância e práticas que levaram o rubro-negro literalmente ao fundo do poço.

Apesar do apelo generalizado da imprensa especializada, a força política trazida por Alexi Portela a essa chapa surpreendente deve resultar no retorno, de como diriam os fãs de Harry Potter, de 'Você-sabe-quem', restando à maioria dos rubro-negros, aqueles que haviam voltado nestes últimos dez anos a frequentar o Barradão, a torcer para que o clube não volte a ser alvo de processos milionários daqueles que se dizem torcedores.

Resta torcer para que apenas as qualidades demonstradas no passado, sejam o foco do destes novos velhos dirigentes. Pode ser a chance de voltar a ter uma base forte, dizem alguns. Mas qual será o preço a ser pago por possíveis avanços?

Como esperança, surge o nome de Raimundo Viana, que apesar da idade avançada teve sucesso na missão que lhe foi confiada quando Carlos Falcão renunciou.

Outra forte oposição surge com o nome de Ricardo David, que apesar de demonstrar a fragmentação atual no clube, pode acabar fortalecendo ainda mais a surpreendente chapa liderada pro Alexi.

A crise no Vitória está longe de acabar e a torcida já percebeu, haja vista a pouca comemoração não apenas no estádio, após confirmar a continuação na Série A. Infelizmente ainda parece faltar muito para que aqueles que se acham donos de um clube que representa quatro milhões de torcedores parem de tentar enganar descaradamente os rubro-negros.